Páginas

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Resenha - O Corcunda de Notre Dame

*(Contem spoilers)
** (OCDND = O Corcunda de Notre Dame)

O Corcunda de Notre Dame, 34º longa de animação da Disney, foi inspirado na obra Notre Dame de Paris do escritor francês Victor Hugo.





Breve Resumo: Quasímodo, o gentil  sineiro da catedral de Notre Dame, passou toda sua vida na torre da catedral  isolado sendo apenas visitado por seu guardião, o juiz Claude Frollo. Porém, Quasímodo sonha em sair da torre e conhecer a cidade e as pessoas. Um dia, durante o Festival dos Tolos, ele se arrisca à um passeio e acidentalmente acaba se tornando o rei do festival, pois eles elegem as máscara mais feia da cidade. Quando todos lá percebem que a máscara é na verdade o rosto de Quasímodo a multidão se mostra cruel, mas o sineiro é defendido pela jovem cigana Esmeralda. A partir daí nasce uma amizade entre os dois e Quasímodo tem que lutar contra seu protetor para defender sua nova amiga, sua liberdade e a cidade que tanto ama.

O Corcunda de Notre Dame, lançado em 1996, é possivelmente um dos longas de animação Disney mais polêmicos já feitos por tratar de temas muito fortes como infanticídio, obsessão sexual, hipocrisia religiosa, desigualdade social entre outros. Apesar disso, o filme fez razoável sucesso em seu lançamento, mas longe de lucrar tanto quanto os sucessos anteriores da Disney.

O filme foi dirigido por Kirk Wise e Gary Trousdale (ambos trabalharam em A Bela e a Fera) e produzido por Don Hahn (produtor de O Rei Leão) e conta com a trilha sonora de Alan Menken e Stephen Schwartz. A trilha sonora de OCDND foi considerada por críticos como o melhor trabalho de Alan Menken na Disney, que foi responsável pela trilha sonora de filmes como A Pequena Sereia, Pocahontas, Aladdin e Hércules.
Catedral de Notre Dame

Os artistas da Disney foram até Paris para visitar a catedral de Notre Dame a fim de fazer com que o design das construções no filme ficassem fiéis aos prédios de Paris, trabalho este que foi muito bem executado.
Parte dessa arquitetura são as gárgulas, amigas de Quasímodo no filme. Victor, Hugo (homenagem ao autor do livro) e Laverne (cantora do grupo Andrews Sisters) foram criados para dar voz aos sentimentos de Quasímodo já que, segundo comentários do diretor e produtores, as gárgulas só poderiam existir na imaginação do sineiro.

As críticas e opiniões sobre o filme até hoje são muito controversas, há os que adoram por ser um dos melhores roteiros, e outros não gostam por ser um filme adulto demais ou até mesmo por não concordarem com as adaptações feitas pelo estúdio para tornar a história um pouco mais leve.

Pra quem não leu o livro aqui vai algumas das modificações feitas: Quasímodo, no clássico era um homem retraído e até mesmo considerado uma pessoa quase irracional, muito diferente do doce e gentil sineiro da Disney. Fora isso, Quasí era surdo, o que o tornava mais carrancudo ainda. Frollo "mudou" de profissão, para aliviar a crítica sobre a igreja feita no livro o arcebispo se tornou um juiz eclesiástico. Phoebus, de capitão mulherengo passou a salvador da pátria disputando o amor de Esmeralda com Quasímodo (a primeira disputa de dois heróis pelo amor da donzela na Disney). A personalidade de Esmeralda também foi modificada, já que algumas vezes ela parece ter medo de Quasímodo.

Há quem diga também que Frollo no livro não era exatamente um vilão e sim uma pessoa perturbada oscilando entre o dever e o desejo pela cigana.


Mesmo com duras críticas, o filme arrecadou um bom número de indicações a prêmios, entre elas a inexplicável indicação ao Framboesa de Ouro por Pior Roteiro de Filmes que arrecadaram mais de 100 milhões de doláres. Apesar disso o filme levou o Globo de Ouro de Melhor Trilha Sonora.

Além da trilha sonora, devemos destacar também o excelente trabalho de dublagem tanto nas falas quanto nas músicas. Interpretações únicas foram dadas às canções e algumas dublagens (no original) de filmes anteriores da Disney foram reutilizadas por causa do ótimo trabalho feito.



Dublagem Original

* Quasímodo - (Tom Hulce)
* Esmeralda - (Demi Moore / Heidi Mollenhauer [canções])
* Claude Frollo - (Tony Jay)
* Phoebus - (Kevin Kline)
* Clopin - (Paul Kandel)

Dublagem Brasiliera

* Quasímodo - (Marcelo Coutinho)
* Esmeralda - ( Mônica Rossi / Rosana Fiengo [canções])
* Claude Frollo - (Leonardo José  / Rodrigo Esteves [canções])
* Phoebus - (Dário de Castro)
* Clopin - (Claúdio Galvan)


Invasores: Neste filme, um dos visitantes serve de pequena homenagem a Kirk Wise, Gary Trousdale e Don Hahn (já citados) com o animado anterior do trio. Em uma cena da música "Lá Fora" (Out There) vemos Bela (A Bela e a Fera) passando pelas ruas de Paris. (clique nas imagens para ampliá-las)


Na mesma cena vemos (ou não) Pumba (O Rei Leão) sendo carregado por caçadores. Isso me lembra Asterix!)

Ainda nesta mesma cena, o Tapete de Aladdin sendo sacudido.

O Corcunda de Notre Dame por mim: OCDND encanta por diversos motivos, os gráficos bem trabalhados, trilha sonora excelente, personagens profundas, mas o que mais me cativa, principalmente depois de ler o livro, é justamente o roteiro. Independente de analisar se a adaptação foi boa ou não, como história OCDND funciona extremamente bem, o humor foi colocado na medida certa, os diálogos são os mais bem escritos e cada personagem tem sua força que cativa de maneiras diferentes, podemos dizer isso até mesmo do vilão Frollo.
rascunhos da catedral
Quanto ao livro, bem, gosto da obra, tem um clima totalmente diferente do filme, dá até pra sentir pena do Frollo e não simpatizar muito com o Quasímodo, porém o filme da Disney foi fiel em alguns aspectos primordiais da história, como a contraposição do grotesco e do sublime, característica da obra romântica de Victor Hugo. No filme vemos claramente a mensagem de que a beleza verdadeira não depende de um físico bonito, mas do coração de cada um.

Reveja esta cena: No caso estas músicas. Foi difícil escolher uma parte deste filme, o bom mesmo é vê-lo por inteiro, com  e sem comentários de áudio, com extras e tudo mais, mas me decidi por estas músicas por elas mostrarem as maneiras diferentes de como é vista Esmeralda por Quasímodo e Frollo: Luz Celestial e Fogo do Inferno.

Luz Celestial - Fogo do Inferno

Esta trilha sonora eu recomendo muitíssimo em qualquer língua. Visite http://www.disney2d.xpg.com.br/ para baixar a trilha sonora em diversas línguas ou faça o download das músicas em português no link abaixo.

1. Os Sons de Notre Dame
2. Lá Fora
3. Às Avessas
4. Humilhação
5. Salve os Proscritos
6. O Campanário
7. Luz Celestial / Fogo do Inferno
8. O seu Glamour
9. Paris em Chamas
10. O Pátio dos Milagres
11. Santuário!
12. E Ele Castigará os Maus
13. À Luz do Sol
14. Os Songs de Notre Dame
15. Um Dia
16. Oração (Rosana)


(CD retirado da comunidade CD's 2D Disney - Download )

Abaixo o trailer lançado no VHS de Pocahontas. 

2 comentários:

Nilsen Silva disse...

Esse filme é perfeito, e eu acho o fato de ele ser adulto um atrativo bem grande, na verdade. A trilha é ótima e a dublagem, como você falou, foi muuuito bem feita.

Só uma coisa que eu fiquei meio surpresa... as gárgulas são pra dar vozes aos pensamentos do Quasímodo? Nunca tinha visto por esse lado, sempre achei que elas eram uma coisinha meio Disney Feelings o_o

E o vídeo que você postou é o melhor. ESSA MÚSICA É PERFEITA!

K! disse...

Ah sim, isso na verdade foi um comentário do próprio pessoal da produção. Se não me engano está no DVD (não tenho certeza se foi lá que eu vi, sei que foi uma entrevista). Eu também achava que era só pra dar uma animada no filme e tal, mas até que faz bastante sentido.

Eu amo todas as músicas desse filme, mas essa é a mais forte de todas pra mim.